Crônica de um Verão (1961)


Paris, verão de 1960. O cineasta e etnólogo Jean Rouch, acompanhado pelo sociólogo Edgar Morin, leva sua câmera às ruas para coletar as respostas dos pedestres à pergunta: "você é feliz?". No entanto, aquilo começa como uma simples enquete logo se transforma em um ambicioso e imprevisível retrato de um grupo heterogêneo composto por jovens estudantes, operários e imigrantes, que expõem suas concepções sobre a vida e a política, suas dúvidas e angústias, seus cotidianos. Ao fim deste processo, os realizadores reúnem os entrevistados para registrar suas reações à projeção do material filmado, momento em que as fronteiras entre verdade e ficção são postas em crise. Unindo o método de Robert Flaherty às teorias de Dziga Vertov, Rouch e Morin compõem neste filme-ensaio o manifesto que inaugura o cinéma-vérité ("cinema verdade"). Com o auxílio de equipamentos de filmagem leves e portáteis - tecnologia que o próprio Rouch ajudou a desenvolver - , os cineastas promovem uma transformação radical nos métodos e técnicas cinematográficas que vigoravam na época. Depois de Crônica de um verão, o cinema nunca mais seria o mesmo.


Participações:

Angelo ... O Próprio
Nadine Ballot ... A Própria
Régis Debray ... O Próprio
Jacques ... O Próprio
Landry ... O Próprio
Marceline Loridan Ivens ... A Própria
Edgar Morin ... O Próprio
Marilù Parolini ... A Própria
Jean Rouch ... O Próprio
Jean-Pierre Sergent ... O Próprio
Sophie ... A Própria

Direção: Jean Rouch
Duração: 85 minutos


Deixe seu comentário!!

0 comentários (deixe o seu!).